Wondernews Out 17 – Cuidados a ter quando o fogo acaba


Cuidados a ter quando o fogo acaba 

A vivência de uma situação traumática como é o caso dos incêndios que têm afetado o nosso País impõe alguns cuidados de saúde e atenção redobrada a certos sinais. A ARS Centro e a Direção-Geral da Saúde desenvolveram um guia com o que é essencial para gerir uma situação destas.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO DE SAÚDE PÚBLICA
Se estiver sem abastecimento de água potável, recomenda-se:

  • Utilizar água engarrafada para ingestão e confeção de alimentos;
  • Preparar alimentos consumidos crus com água desinfetada com cloro (duas gotas de lixívia por um litro de água).Utilizar a água de poços, tanques e ribeiras apenas para rega e lavagens;
  • Utilizar água potável para lavagem de dentes (desinfetada com cloro, fervida ou engarrafada;
    Antes de voltar a utilizar a água dos poços e furos, aconselhar-se com o seu o delegado de saúde.
  • Poderão ser solicitadas análises da água aos furos e poços. Confirmada a sua potabilidade, pode ser utilizada;
  • Ficar atento às informações da câmara municipal ou da entidade distribuidora de água;
  • No caso de os sistemas de tratamentos de águas residuais individuais (exemplo: fossas sépticas) não estarem em condições de utilização, contactar a câmara municipal da sua zona.

Cuidados a ter com os resíduos urbanos (lixo doméstico):

  • Devem ser colocados em sacos devidamente fechados;
  • Os sacos com os resíduos devem ser colocados em contentores bem fechados. Na impossibilidade, devem ser utilizados recipientes rígidos com tampa;
  • Fique atento às informações da câmara municipal ou da entidade gestora dos resíduos.

OUTROS CUIDADOS A TER
A nível individual:

  • Permanecer duas a três horas por dia num ambiente fresco ou com ar condicionado;
  • Aumentar a ingestão de água;
  • Em períodos de maior calor, tomar um duche de água tépida ou fria – evitar mudanças bruscas de temperatura;
  • Diminuir esforços físicos e repousar frequentemente em locais frescos e arejados;
  • Não hesitar em pedir ajuda a um familiar ou a um vizinho no caso de se sentir mal ou de solidão;
  • Cumprir a medicação de acordo com a prescrição, mantendo-a em locais frescos e ter reserva de medicamentos. Não tome medicamentos por sua iniciativa;
  • No caso de haver poeiras no ar, utilizar máscaras de proteção ou lenços húmidos;
  • Os grupos considerados mais vulneráveis são: crianças, idosos, doentes crónicos; acamados e/ou imobilizados, habitantes isolados e trabalhadores expostos ao sol.

A nível familiar:

  • Privilegiar uma alimentação variada e equilibrada e em quantidades adequadas, favorecendo o consumo de alimentos com elevado teor de água (sopas, fruta, e sumos naturais);
  • Evitar a permanência em viaturas expostas ao sol;
  • Dar especial atenção a crianças, doentes, idosos e também a animais;
  • Contactar sempre que possível familiares e amigos. Perceber se necessitam de algum tipo de apoio;
  • Se houver familiares a fazer medicação, assegure-se de que não a interrompem e que seguem a prescrição médica.

A nível comunitário:

  • Adequar comportamentos de proteção face aos alertas;
  • Recorrer a canais de comunicação imediata (telemóvel, internet, redes sociais, rádio, televisão);
  • Seguir as recomendações das autoridades;
  • Identificar vizinhos em situação crítica (doentes, idosos, debilitados) e alertar as autoridades competentes;
  • Em caso de emergência contactar o 112 e Saúde 24 (808 24 24 24).

Fonte: DGS
Para mais informações consulte aqui