Wondernews Set 17 – Regras na utilização de escadas – Parte2


1. Regras de Utilização Geral:
Antes de utilizar qualquer escada/escadote estes devem ser inspecionados visualmente, prestando atenção a possíveis defeitos:
– Folgas ou falta de degraus;
– Falta de acessórios, como braçadeiras, travessões, cavilhas, fechos ou bases antiderrapantes;
– Partes danificadas como rachas ou fendas, peças partidas, amolgadas ou degraus muito gastos;
– Corrosão em escadas/escadotes metálicos;
– Deterioração dos corrimões laterais;
– Escadas/Escadotes danificados ou em que faltem acessórios devem ser removidos de circulação e etiquetados com sinalética adequada;
– Nunca exceder em qualquer circunstância, o limite máximo de peso indicado na escada;
– Em áreas em que o trabalho se desenvolve sob uma área de circulação pedonal ou rodoviária, estas devem ser previamente isoladas de modo a garantir a realização dos trabalhos em segurança;
– Os escadotes não devem ser utilizados próximos de portas, pois estas ao abrirem, podem embater e projetá-lo para o chão;
– É proibido prolongar a altura de um escadote/escada, de forma improvisada;
– Em trabalhos elétricos é proibida a utilização de escadotes metálicos;
– As escadas/escadotes devem ser inspecionados pelo menos uma vez por ano, independentemente da frequência da sua utilização.

Utilização da Escada
•    Na subida (descida):
– Na subida olhar sempre para cima, para evitar bater com a cabeça em obstáculos que se encontrem no seu caminho;
– As mãos devem estar livres: só assim é garantida a regra dos 3 pontos de apoio: 1 mão + 2 pés, ou 2 mãos + 1 pé;
– A descida deve ser sempre efectuada de frente para a escada. Não passar mais que um degrau de cada vez, nem saltar da escada para o solo;
–  Os materiais e ferramentas devem ser transportados numa bolsa ou utilizando uma corda de serviço; em nenhuma circunstância devem ser transportados nas mãos;
– Durante a utilização da escada não deve permanecer mais do que um colaborador sobre a mesma mesma, excepto em circunstâncias de salvamento, em que pode subir outro, para o resgatar.
•    No posto de trabalho:
– Não usar escadas de fabrico artesanal;
– Colocar nas escadas de dobrar elementos de segurança que impeçam a sua abertura durante a sua utilização;
•    Colocar a base da escada solidamente fixa. No caso de serem utilizadas escadas de mão simples, a parte superior deverá, se necessário, encaixar num rebordo, quando isto não for possível deverão utilizar-se braçadeiras;
•    Colocar a escada de mão simples ou retráctil formando um ângulo de aproximadamente 75º com o horizontal ou a sua base será colocada a ¼ L, sendo L a distância da base da escada até ao ponto de apoio superior (hipotenusa), devendo superar em 1 metro o ponto de apoio;
•    A altura da escada deve ser a suficiente de modo que o trabalhador não necessite de subir para além do 4º degrau a contar do topo;
•    Concluída a subida, fixar o antiquedas num ponto solidamente fixo e procurar a melhor posição para a execução do trabalho;
•    Prender-se com a corda de amarração (corda com regulador) em torno de um ponto fixo cuja resistência foi previamente verificada;
•    O corpo do colaborador não deve ultrapassar lateralmente os montantes da escada (excepto nas de encaixar) para não provocar a instabilidade da mesma;
•    Não colocar ferramentas ou equipamentos que estão a ser usadas nos degraus, para tal utilizar sacos, bolsas ou abraçadeiras com anéis;
•    Evitar o uso de escadas de mão ou retracteis nas vias de circulação de peões ou veículos, devendo protege-las dos choques de peões ou veículos por meio de barreiras periféricas;
•    Deve ser delimitada e sinalizada uma área mínima de cerca de um metro quadrado em torno da base da escada/escadote.
2. Equipamentos de Protecção Individual – EPI’s
– Capacete de protecção;
– Sistemas antiquedas (altura superiores a 2 m);
– Sistema de amarração ao posto de trabalho;
– Botas/sapatois de protecção mecânica;
– Óculos e Luvas de protecção mecânica/isolantes (consoante o tipo de trabalho).